Tabelionato, Registro Civil e Especiais de Rolante

Eduardo Kindel - Tabelião e Registrador

(51) 3547-1449
(51) 3547-1540
(51) 98410-1540

Plantão de óbitos do Registro Civil (Whatsapp):

(51) 98410-1540

NOTÍCIAS

19 DE JANEIRO DE 2021
STJ – Contrato de aluguel é válido mesmo que apenas um dos coproprietários tenha locado o imóvel

Ainda que o Código Civil exija a anuência da maioria absoluta dos coproprietários para dar posse de imóvel a terceiros, eventual inexistência desse consentimento não gera a nulidade do contrato de locação, tornando-o incapaz de produzir efeitos jurídicos. Os vícios que podem levar à anulação do contrato são aqueles previstos nos artigos 166 e 167 do Código Civil, e a legislação não impõe a obrigatoriedade da presença de todos os proprietários no instrumento locatício.

O entendimento foi fixado pela Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ao manter acórdão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) que declarou a rescisão de contrato de aluguel e determinou o despejo do locatário – o qual firmou o contrato com apenas um dos proprietários do imóvel.

O autor da ação de despejo – que posteriormente faleceu e foi sucedido pelos herdeiros – entrou com o pedido em nome próprio e como representante legal dos demais proprietários. Entretanto, duas das coproprietárias alegaram que não fizeram parte do contrato de locação nem autorizaram a sua celebração.

Em primeiro grau, o juiz acolheu a tese das coproprietárias e declarou a nulidade do contrato, julgando improcedente a ação. Entretanto, o TJSP reformou a sentença por entender que a falta de concordância dos coproprietários não gera nulidade.

Ausência de vício

Relator do recurso das coproprietárias, o ministro Villas Bôas Cueva explicou que, nos termos do artigo 1.314 do Código Civil, admite-se que qualquer um dos condôminos reivindique a coisa de terceiro e defenda a sua posse. No entanto, ponderou, para que seja alterada a destinação do bem, ou para dar a posse a alguém, é necessário o consenso dos condôminos.

Por outro lado, no caso dos autos, o ministro apontou que não foi demonstrada a ocorrência de nenhum dos vícios capazes de gerar a nulidade do negócio jurídico, como aqueles descritos no Código Civil. “Ademais, é incontroverso nos autos que o contrato foi celebrado entre pessoas capazes e houve a transmissão da posse do imóvel para o réu”, afirmou.

“A respeito da capacidade do autor para firmar contrato de locação, oportuno observar que a lei nem sequer exige a condição de proprietário para sua celebração”, complementou o ministro.

Situação inusitada

Por esses motivos, Villas Bôas Cueva entendeu que não poderia ser acolhida a tese de nulidade do contrato, de modo a exonerar o locatário de qualquer obrigação, especialmente em virtude do princípio da vedação do enriquecimento sem causa, previsto no artigo 884 do Código Civil.

Ao manter o acórdão do TJSP, o relator também considerou “inusitado” que a tese de nulidade do contrato de locação tenha sido levantada pelas coproprietárias, pois elas, em tese, teriam interesse no recebimento dos aluguéis.

“Conforme concluiu o tribunal de origem, mostra-se irrelevante, no presente caso, a demonstração de consentimento dos coproprietários para que o autor firmasse o contrato de locação, sendo devidos os aluguéis vencidos e inadimplidos até a desocupação do imóvel”, finalizou o ministro.

Leia o acórdão.

Fonte: Superior Tribunal de Justiça

Outras Notícias

Anoreg RS

20 DE ABRIL DE 2021
Época – Cartórios têm forte queda no registro de óbitos por Covid de idosos e aumento de mortes na faixa 20-59 anos

Associação dos cartórios vê grande redução nos grupos de 80 a 99 anos e aumento entre mais jovens.


Anoreg RS

20 DE ABRIL DE 2021
MSN – Além da covid, Brasil teve 55 mil mortes por outras doenças acima do previsto para 2020

As estatísticas indicam que, além das perdas pelo vírus, a crise sanitária causou mortes de quem poderia...


Anoreg RS

20 DE ABRIL DE 2021
R7 – Cartórios registram alta nos óbitos de jovens e queda entre idosos

Nas faixas etárias mais altas já vacinadas, a redução do número de óbitos lavrados chega a 64%, segundo dados...


Anoreg RS

20 DE ABRIL DE 2021
GOV – Guias para pagamento de títulos de regularização fundiária podem ser emitidas pela internet

A emissão da Guia de Recolhimento da União (GRU), que antes necessitava de atendimento presencial em unidades do...


Anoreg RS

20 DE ABRIL DE 2021
Conjur – Sobre a possibilidade de aplicação do usufruto nas execuções trabalhistas – Por Rachel Melchert de Queiroz Guimarães e Ana Paula Prado Bertoncini

Antes de entrar no mérito, vale lembrar que é totalmente plausível a penhora do direito de usufruto em...


Anoreg RS

20 DE ABRIL DE 2021
OAB – OAB abre inscrições para o I Congresso Brasileiro de Direito Urbanístico, que acontecerá em julho

Os debates ficarão a cargo de especialistas do tema, que farão um balanço dos 20 anos do Estatuto da Cidade.


Anoreg RS

19 DE ABRIL DE 2021
Jornal Contábil – Promessa de compra e venda pode basear pedido de usucapião extrajudicial?

A Promessa de Compra e Venda constitui uma das [clássicas] espécies de contrato preliminar e destina-se a...


Anoreg RS

19 DE ABRIL DE 2021
EBC – Especialista explica sobre declaração inicial de espólio

O espólio corresponde ao ano-calendário do falecimento.


Anoreg RS

19 DE ABRIL DE 2021
Diário de Santa Maria – Cinco cidades da Região Central já registram mais mortes que nascimentos em abril

Pesquisa projeta novo recorde de mortes por Covid-19 no mês de abril.


Anoreg RS

19 DE ABRIL DE 2021
GaúchaZH – Pela primeira vez na história recente, RS registra mais mortes do que nascimentos em um mês

Estado foi o único do Brasil a verificar encolhimento da população em março, auge da pandemia no Brasil.